segunda, 23/09/2019

Servidor que atacou e pediu nudes a Daniella Ribeiro durante campanha é condenado

20/07/2019 - 10:31 - Política

Compartilhe:
Servidor que atacou e pediu nudes a Daniella Ribeiro durante campanha é condenado

Servidor que atacou e pediu nudes a Daniella Ribeiro durante campanha é condenado

 

O autor dos ataques cibernéticos à honra da senadora Daniella Ribeiro, em setembro do ano passado (quando ela era candidata ao cargo), período de eleições, foi condenado à pena restritiva de direitos e terá de entregar cestas básicas por 24 meses a uma instituição de caridade. A audiência aconteceu nesta sexta-feira (19), no Fórum Eleitoral de João Pessoa. O pagamento das cestas básicas é uma alternativa à condenação proposta pelo Ministério Público.


O autor, identificado por Ary Washington da Silva Júnior, responsável pelo perfil @comedia_zero, divulgou mensagens de teor ofensivo e depreciativo à honra de Daniella, em plena campanha eleitoral, na clara tentativa de desestabilizá-la. Ary, na época dos ataques, era servidor do Governo do Estado, e trabalhava na Empresa Paraibana de Turismo (PBTUR), conforme apurou a investigação. Segundo informações do Sagres, até o mês de abril ele continuava na folha de pagamento do Estado.


No dia dos ataques cibernéticos, a então candidata participava de um debate com os demais candidatos ao cargo de senador. Os ataques foram feitos através da rede social Twitter. Ele chegou a ‘pedir nudes’ à senadora, o que foi visto como uma ofensa não apenas a Daniella, mas a todas as mulheres de uma forma geral, pela afronta e desrespeito ao gênero.


Para o advogado Diego Fabrício, que representa a senadora, a pena imposta ao autor traz consigo, além da ação corretiva, um caráter educativo. “Esse caso serve de alerta para quem tenta se esconder atrás de perfis falsos com o intuito de atacar a honra e a imagem de terceiros. Esse caso é emblemático porque o autor foi identificado e devidamente responsabilizado pelos seus atos”, afirmou.


A senadora Daniella Ribeiro, por sua vez, disse que se sente aliviada com a resolução do caso e fez um apelo para que situações dessa natureza não se propaguem. “Infelizmente muitas pessoas com intenções duvidosas usam a internet para atacar, ofender, e até ameaçar. Aconteceu comigo e eu, de imediato, denunciei. Espero que todas as vítimas de crimes cibernéticos também denunciem para que os casos não fiquem impunes e não sirvam de incentivo”, declarou.


A proposta do pagamento de cestas básicas, chamada de transação penal, foi feita pelo Ministério Público, e aceita por Ary Washington. Isso evita a abertura de uma ação penal, o que significa dizer que ele não pode, em hipótese alguma, deixar de entregar as cestas básicas. A audiência foi conduzida pelo juiz eleitoral Sílvio José da Silva.

 

 

Parlamento PB